GRUPO DE APOIO VOLUNTÁRIO AOS ANIMAIS ABANDONADOS DE CAMPINAS-SP


>
Artigos

Como alguns cidadãos interpretam o papel de uma ONG de proteção animal

Como alguns cidadãos interpretam o papel de uma ONG de proteção animal
Intuito é mostrar que a ONG se dispõe a ajudar, mas não tem condições financeiras de resgatar e domiciliar todos os animais da cidade

NEAFA esclarece mal entendido publicado em veículo de comunicação

11/07/2012 18:40

O Núcleo de Educação Ambiental Francisco de Assis (NEAFA) vem, nesta quarta-feira (11) prestar os devidos esclarecimentos sobre a reportagem publicada no dia 10 deste mês, em um dos veículos de comunicação do Estado, intitulada: “instituições não se entendem e cachorro agoniza após acidente” e que não retrata a realidade desta Organização Não Governamental (ONG).

O NEAFA é uma ONG de proteção animal e, portanto, defende a vida animal em todas as instâncias. É bom que se diga que o Núcleo não tem qualquer obrigação nem muito menos condições estruturais, como é o caso de um carro disponível e nem condições financeiras para resgatar e domiciliar todos os animais atropelados da cidade, mas, em contrapartida, sempre se coloca à disposição para ajudar, atender ao animal e prestar todos os primeiros socorros necessários para se tentar a todo custo salvá-lo, sendo necessário para isto que apenas alguém com o mínimo de disponibilidade e amor no coração, queira dar sua cota de colaboração e ajudar a levar o animal até a sede.

De acordo com a presidente do NEAFA, Cristiane Leite, observou-se uma flagrante

Veja Também:

> Após impasse, GVAM resgata cadela atropelada por trem no Bebedouro, mas animal teve que ser eutanasiado <

insanidade, em se tratando do fato de quererem defender o “campo de concentração” que até então se verificava no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), órgão público com obrigações legais, que se limitava ao papel de exterminador de animais, inclusive os saudáveis e filhotes. “Lutamos pela vida animal, dentro das possibilidades estruturais do Núcleo, e ajudamos sempre que podemos”, disse Leite.

Vale dizer ainda que, segundo a recomendação do Ministério Público, o CCZ só está proibido de eutanasiar animais saudáveis, o que não impediria, assim, de atender aos apelos do Ricardo Pereira de tão somente se livrar do animal. É uma pena as pessoas falarem do que não sabem e facilmente tentarem transferir responsabilidades.

O Ministério Público de Alagoas foi acionado contra o CCZ de Maceió conjuntamente pela Comissão de Bem-Estar Animal da OAB/AL e NEAFA devido ao real compromisso dessas entidades na defesa dos direitos dos animais

Fonte:  http://primeiraedicao.com.br/noticia/2012/07/11/neafa-esclarece-mal-entendido-publicado-em-veiculo-de-comunicacao

Parceiros

CNPJ: 11.109.412/0001-80

Logica Digital